quinta-feira, 29 de abril de 2010

Para mães: Dicas sobre assuntos gerais.

Banho morno para baixar a febre
A água deve estar com a temperatura em torno de 25°C. outra opção é aplicar compressas embebidas também em água na mesma temperatura.
A febre é resultado de um comando do cérebro, que faz o organismo aumentar a temperatura corporal a fim de combater um agente estranho. Em contato com um meio externo mais frio, como a água, o organismo automaticamente regula a temperatura, fazendo a febre baixar.
Indicado para bebês e qualquer idade.


Massagem para alivar a cólica  
Basta friccionar o abdome do bebê, com movimentos circulares lentos, em sentido horário. O ideal é fazer a massagem com os dedos anular, médio e indicador, repetindo a manobra de 80 a 100 vezes.
A massagem provoca um aquecimento local, que faz a musculatura relaxar. Como conseqüência, a dor dá uma trégua. A compreensão leve do abdome também facilita a eliminação dos cases causadores da cólica.
Indicado para bebês e qualquer idade.


Sem susto na hora do engasgo 
Durante a mamada, se o bebê der aquela tossidinha mais forte, acalme-se e espere que ele se recupere. Esses engasgos são comuns quando a criança suga mais do que consegue engolir, não atrapalham na respiração, e o organismo reage por meio do reflexo da tosse. Os bebês maiores podem se engasgar com miudezas levadas à boca. Se isso acontecer, vire a criança de bruços e comprima a região do tórax, provavelmente o objeto vai saltar para fora. Nunca tente colocar os dedos dentro da garganta da criança para não correr o risco de empurrar ainda mais fundo o que está entalado. 

Compressas com pano morno para aliviar dor de ouvido 
Basta aquecer uma fraldinha de pano limpa com ferro de passar. O tecido morno, a temperatura bem confortável, deve ser aproximando da orelha do bebê.
O calor provoca vasodilatação e relaxa a musculatura da região, aliviando a dor.
Indicado para bebês e qualquer idade.


Lenço umedecido em álcool contra dor de garganta e tosse 
Basta umedecer o lenço em uma mistura de um copo de água morna com uma tampinha de álcool e prendê-lo ao pescoço do bebê.
O álcool aquece a região e provoca sensação de bem-estar.
Indicado para crianças acima de 1 ano e meio, sob supervisão atenta dos pais.
Tome cuidado, pois o álcool, quando concentrado, pode causar intoxicação, pela aspiração, e queimaduras na pele. Fique atenta ainda ao perigo de sufocamento.


Não interrompa 
Muitas crianças têm dificuldades de manter a concentração por longos período e é difícil compensar isso. Elas simplesmente não conseguem se concentrar tão bem quanto um adulto. Uma das melhores coisas a fazer para ajudar seu filho a manter a atenção é não interrompê-lo quando está absorto em alguma coisa. Espere para intervir quando a atenção se desviar, sem esquecer de elogiá-lo por fazer um bom trabalho.

O melhor lugar para brincar 
Abram espaço. Seu filho querer esparramar os brinquedos e, literalmente, deitar e rolar. Para garantir as segurança, mantenham-no sempre longe de escadas, janelas e portas que poderão bater com o vento. Se levá-lo ao playground ou à pracinha, observem se há brinquedos próprios para a idade dele e quais suas condições de uso.

A pele está escamando 
Normal, especialmente nas primeiras três semanas de vida, e atinge inclusive o couro cabeludo. É que o bebê passou do meio líquido para p seco e entra em contato com o tecido das roupas e com produtos como xampu e sabonete. A camada superficial da pele sai para dar lugar a uma mais resistente.

Reidratar em caso de diarréia 
Cozinhe o arroz como de costume, desligando o fogo antes que a água seque por completo. A papinha atua mais ou menos como o soro caseiro, feito à base de água, sal e açúcar. Também na papa entram sal e água. O açúcar fica por conta dos carboidratos do arroz.
Essa papinha serve para crianças que já se alimentam com papinhas salgadas, normalmente acima dos 6 meses.
Diarréia pode levar a desidratação 
É a desidratação que põe em risco a saúde. A quantidade de líquidos do organismo precisa ser mantida estável porque é pelo sangue que chegam o oxigênio e os outros nutrientes necessários para o bom funcionamento de cada célula do corpo. E se falta líquido todos os órgãos ficam com desempenho comprometido.  


Para acalmar o bebê
Misture, em meio copo de água filtrada, uma colher de sobremesa de açúcar.
Em situações de stress, o organismo libera um hormônio, a adrenalina, que estimula o metabolismo e leva a um consumo maior da glicose – cuja taxa ficará reduzida no sangue. A água com açúcar repõe a glicose perdida, proporcionando uma sensação imediata de bem-estar.
Indicado para crianças que já se alimentam com sucos, normalmente acima dos 6 meses. 


Remédio natural para cólicas
Uma boa alternativa sem efeitos colaterais é um remédio natural que combina a erva-doce com a chicória. Trata-se de um pó rosado que diminui as contrações e facilita o funcionamento dos intestinos. O ideal é a mãe aplicar diretamente no seio, para que o pimpolho pegue o peito e sugue o remédio, ou colocar um pouco direto na boquinha do bebê.

Tosse sem catarro 
Diferentemente do que muita gente imagina, a tosse seca não é sinal de pneumonia. Mas é sempre bom que o pediatra examine o pequeno, pois esse tipo de tosse geralmente está associado a alguma alergia. Aparece mais nos dias frios, coincidentemente quando os baixinhos estão mais agasalhados.

OBS.: Essas dicas eu recebi por email quando estava grávida e não sei a onde a pessoa que me mandou encontrou porque ela não colocou a fonte, quem souber por favor coloca no comentário que eu edito o post depois.
Beijos             

quarta-feira, 28 de abril de 2010

Para cada criança, um tipo de leite

Conheça as principais diferenças e decida qual o mais adequado para o seu filho

Daniela Tófoli e Thais Lazzeri


André Spinola e 
Castro
É só olhar para as prateleiras dos supermercados lotadas de caixinhas de leite para as dúvidas começarem: qual o melhor tipo? As opções são tantas que comprar o produto mais indicado para seu filho torna-se um desafio. Leite de vaca, cabra, búfala, ovelha ou camela? Além da origem, há variações nos tipos e no teor de gordura. O integral tem pelo menos 3%; o desnatado, no máximo 0,5%; e o semi-desnatado, um valor intermediário. A decisão de qual é melhor deve ser tomada com o pediatra. Segundo Cid Pinheiro, pediatra do Hospital São Luiz, a maioria das crianças consome leite de vaca integral. “O desnatado e o semi são recomendados para tratamentos de doenças específicas, como a obesidade.” O acréscimo de farinha láctea também deve ser feito com orientação médica. Veja, nas próximas páginas, os tipos de leite mais comuns nos mercados:

Tantos leites...

Aromatizados: Como melhoram o aroma, podem ser uma alternativa quando as crianças rejeitam o leite. O produto, com cheiro de morango ou chocolate, por exemplo, parece um pouco escurecido. Novas marcas estão chegando ao mercado brasileiro. É necessário ter atenção para casos de alergia aos aditivos, especialmente corantes, se houver.

Hidrolisados: São especialmente recomendados para crianças com intolerância à lactose. Nelas, as enzimas digestivas não estão completas. Assim, aquela que falta para digerir a lactose já age no leite antes da ingestão. Os hidrolisados são tratados com enzimas para a quebra do açúcar do leite, facilitando a digestão.

Enriquecidos: Eles têm o objetivo de complementar a alimentação da criança com nutrientes importantes não encontrados no leite original ou para repor vitaminas. Podem ser com cálcio, ferro, fibras, ácidos graxos tipo ômega 3 ou 6 etc. O enriquecido com ferro, por exemplo, pode ser usado em qualquer faixa etária, mas até 2 anos é mais recomendado pelos pediatras por causa da necessidade maior deste mineral. Já os que apresentam ômega 3 ou 6 ajudam no metabolismo e são recomendáveis por conterem gordura de boa qualidade.

Em pó: É muito prático para passeios e viagens, já que é fácil de carregar e pode ser preparado na hora, sem necessidade de refrigeração. O produto é obtido por meio da secagem, preservando seus demais constituintes. Costuma ser mais consumido por crianças menores, justamente por ter uma fórmula mais balanceada e completa.

De soja: É indicado principalmente para quem tem algum tipo de intolerância a proteínas de origem animal. Sua fonte de proteína é vegetal, e não animal, como os demais leites, e acaba sendo uma opção de complemento alimentar.

Achocolatados: Não são necessários. Mas, se ainda assim você quiser dar, faça-o após o segundo ano de vida. Antes, podem aumentar o risco de alergia.

Consumo por idade

Abaixo segue uma referência da quantidade que as crianças devem consumir, mas ela pode variar. Segundo o pediatra Cid Pinheiro, do Hospital São Luiz, é preciso levar em conta a idade e informações como prematuridade ou não.
- 7 meses a 2 anos: 3 a 4 porções de 120 ml;
- 2 a 3 anos: 5 porções de 120 ml;
- 4 a 6 anos: 4 porções de 180 ml.

terça-feira, 27 de abril de 2010

Na pediatra e folhetos sobre segurança.

Ontem fomos na pediatra fazer só uma consulta de rotina, tirar algumas duvidas e ver o desenvolvimento da Cecília.
Com quase 1 ano e 4 meses, Cecília está otima, com exatos 10,430 g e 81 cm, continua com 8 dentes e super espoleta.
A pediatra me deu uns folhetos de cuidados e segurança com/para o bebê. Coisas que eu já sabia, mas que sempre é bom a gente ler para relembrar e quero  dividir com vocês.
Beijos.
OBS.: basta clicar na imagem pra ela ficar maior e legivel.
Sua casa muito mais segura para o seu filho.
O dia-a-dia do seu filho com segurança e proteção que ele precisa.

segunda-feira, 26 de abril de 2010

Cachoeira Véu de Noiva

Domingo, cachoeira, churrasco, familia e amigos, têm coisa melhor?
O dia ontem doi muito (MUITO) bom, tava com calor "dusinferno" e a água estava geladinha.
Foi um fim de semana muito divertido.
Cecília parece um peixe, não queria sair da água e ainda queria nadar sozinha, sinal que a natação esta faendo algum efeito. Ela brincou muito com a Laura e com Vitor, escorregou sozinha no escorregador e fez um "splash" legal na água.
Entrar na água não foi o problema, tirar da água que foi.

Beijos.

Para mães: Dicas sobre amamentação

Dicas para a mamãe amamentar fora de casa   
• Procure usar roupas soltas para facilitar o acesso ao seio;
• Escolha um lugar calmo, sem muito barulho e sem corrente de vento, onde mãe e bebê possam estar em uma posição confortável;
• Não tenha pressa. Deixe que o bebê mame a vontade. Tenha consciência e que a amamentação é importante para o bem-estar da mãe e do filho e tente se desvincular dos tabus existentes.

A melhor posição para a amamentação  
Coloque o nenê junto ao seio como se ele estivesse sentado, sem deixar que a cabecinha caia muito para trás. Os lábios devem ficar virados para fora, apoiados na mama, formando a famosa boca do peixinho. É importante também que ele esteja bem acomodado e confortável.

O leite está secando    
 A quantidade de leite produzido varia de um dia para o outro, e às vezes, pode haver uma diminuição temporária do mesmo.
Você pode diminuir o intervalo entre as mamadas e aumentar a freqüência das mesmas; deixar esvaziar 1° peito antes de passar para o 2°; procure repousar durante o dia, alimentar-se bem, tomar líquidos.

Bico invertido (voltado para dentro)  
 Existe um exercício básico, próprio para fazer com que os bicos se projetam. Deve ser realizado a partir do quarto mês de gestação. Com os dedos, a mulher executa movimentos de rotação para a esquerda e para a direita, para cima e para baixo, repetindo-os várias vezes ao dia.   

Os benefícios da mãe com o aleitamento

• Redução do risco de hemorragia no pós-parto, que pode levar à morte;
• Diminuição da incidência de câncer de mama e de ovário;
• Menor risco de anemia;
• Proteção contra osteoporose e um auxiliar dos métodos anticoncepcionais quando exclusivos até 6 meses.


Aspectos positivos da amamentação  
A amamentação é prática, pois o leite já está pronto e não estraga nunca. Não é preciso aquecer, lavar, desinfetar...E é econômica, já que não é preciso pagá-la e raramente a criança necessitará de remédios. O aleitamento faz com que o laço materno se fortaleça. E também é benefício para o meio ambiente por não deixar resíduos. Além de ser essencial para o crescimento da criança, a amamentação reduz as chances de doenças fatais, como diarréia e pneumonia. Obesidade, doenças cardiovasculares, linfomas e diabetes também estão em outros distúrbios que podem ser prevenidos com o aleitamento materno.

Estado emocional durante a amamentação  
Quando a mulher está tensa e ansiosa, o organismo produz grande quantidade de adrenalina, substância que pode comprometer a produção do leite. Aprender a amamentar é uma experiência que exige tempo e paciência. Estar relaxada, numa posição confortável (para mãe e bebê), pode facilitar o aprendizado.  

OBS.: Essas dicas eu recebi por email quando estava grávida e não sei a onde a pessoa que me mandou encontrou porque ela não colocou a fonte, quem souber por favor coloca no comentário que eu edito o post depois.
Beijos

Não perca tempo

Você só tem cinco minutos para ficar com seu filho hoje? Tudo bem, já é um começo. Aproveitando bem o tempo juntos, logo você vai dar um jeito de conseguir mais. Aqui, mais de 70 atividades para você começar

Por Mariana Setubal, filha de Cidinha e Paulo
Você queria ter mais tempo com as crianças. Almoçar com eles ou simplesmente conseguir forças para brincar depois de um dia de trabalho. Mas você não consegue e morre de culpa. Tudo bem. Você só tem um minutinho hoje? Comece com ele. Assim, você já muda o foco e passa da culpa à ação. Claro que não estamos defendendo que um minuto é o bastante, mas, se é o que você tem, vamos lá. Quando você redescobre o prazer de ficar com seu filho, sem tanta autocobrança, fica com vontade de ficar mais e mais. Quando você chega em casa, seu filho quer um pouco de atenção só para ele. Se você se sentar e montar um quebra-cabeça até o fim, sem atender o celular, ele já fica mais tranquilo. Conversamos com gente muito bacana e reunimos sugestões do que fazer com o filho nesse pouco tempo que a gente tem. Peça para a criança bolar o que vai querer fazer quando você chegar em casa. Assim, ela entende que sua ausência é temporária e que o prazer de estarem juntos mais tarde supera os momentos separados. Está esperando o quê para começar?

1 MINUTO
Contra Tempo. Se não terminar em 70 segundos, explode. Idade: a partir de 5 anos. Contra tempo, Estrela, R$ 89,90
Ioiô. Tente diferentes manobras e faça competições. Idade: a partir dos 7 anos. 1000 jogos para seus filhos, Seleções Reader’s Digest (www.seleções.com.br), R$ 99,80
Silêncio. Ajuda a tranquilizar, olhar nos olhos e criar cumplicidade. Idade: todas
Mímica. Escolha um tema e faça a imitação em 30 segundos. Depois, mudam os papeis. Idade: a partir de 4 anos.
Cantar. Pode ser uma canção de ninar ou uma cantiga de roda. Idade: todas.
Bilhetinho. Que gostoso encontrar um bilhete na lancheira! Idade: a partir dos 6 anos
Cócegas. A criança percebe que é motivo de prazer para os pais. Idade: todas.
Poesia. Junte palavras que a criança gosta, inventando versos rimados. Você pode dizer a frase toda vez que se despedir para trabalhar, criando um momento de afeto e proximidade. Idade: a partir de 4 anos.
Massagem. Tocar, sentir, massagear... Que delícia! Idade: todas.
Careta. É divertido e desenvolve a linguagem. Idade: a partir de 2 anos.
Abraço. Olhe bem nos olhos, abrace e diga o quanto o ama. Deixe com ele algo que o lembre do momento. Idade: todas.


5 MINUTOS

Paisagem. Olhe o céu, as estrelas, a lua e conversem sobre o que estão vendo. Idade: a partir de 2 anos.
Jokempô. Pedra, papel e tesoura: a velha brincadeira ainda faz o maior sucesso. Idade: a partir de 4 anos. Vamos brincar do quê?, de Ivete Gama e Patrícia Rodrigues. Editora Girafa (www.agirafa.com.br), R$ 25
História. Leia uma historinha curta. Idade: até os 7 anos. 365 histórias para sonhar, de Valerie Videau, Guillaume Tranney, Laure de Bailliencourt e Catherine Tessandier. Ed. Ciranda Cultural (www.cirandacultural.com.br), R$ 49,90
Charadas. Estimulam o raciocínio. Idade: a partir de 5 anos. O que é o que é, de Ruth Rocha e Walter Ono. Quinteto Editorial (www.ftd.com.br), R$ 22,40
Conversa. Reserve esse tempo para conversar com seu filho e saber como foi o dia. Pergunte o que aconteceu de bom e de ruim. Nesse momento, desligue de todas as distrações. Idade: a partir de 3 anos.
Bolinhas de sabão. Misture água e sabão num copo e use o canudinho para soprar. Idade: todas
No ar. Brinque com uma bexiga ou com uma bola, jogando para o alto. Idade: a partir de 1 ano.
Grudados. Coloque a criança com os pés sobre os seus e caminhem juntinhos pela sala de casa. Idade: a partir de 1 ano.
Cadê? Coloque um pequeno objeto em uma das mãos e peça para seu filho adivinhar onde está. Idade: a partir de 4 anos.
Bater figurinhas. Brinque de tentar virar as figurinhas repetidas do álbum com a palma da mão. Idade: a partir de 4 anos.

10 MINUTOS

Memória. Escolha um tema e diga uma palavra relacionada. A criança deve repetir a sua palavra e criar outra; então, você deve repetir as duas e inventar mais uma; e assim por diante. Idade: a partir de 5 anos.
Passeio. Dê uma volta no quarteirão e observe os diferentes tipos de plantas e construções. Idade: todas
Amarelinha. Se tiver um quintal em casa, só precisa de giz. Se não tiver, use um daqueles tapetes. Idade: a partir de 4 anos.
Esconde-esconde. Quando chegar do trabalho, brinque de sair pela casa procurando seu filho. Quando achar, faça aquela festa! Idade: a partir de 2 anos.
Jogo rápido. Qualquer jogo que exija apenas papel e caneta: jogo da velha ou forca, por exemplo. Idade: a partir de 6 anos. 365 atividades para fazer com seus filhos após as aulas, de Cynthia MacGregor. Editora Madras (www.madras.com.br), R$ 44,90
Fotografar. Pegue a máquina fotográfica e alterne com a criança para tirar fotos. Faça poses divertidas, coloque uma fantasia. Idade: a partir de 5 anos.
Lousa. Você pode pintar a parede da sala com aquelas tintas de lousa e desenhar. Não precisa forrar o chão. É só pegar o giz e soltar a imaginação. Idade: a partir de 3 anos. Esmalte Fosco, Suvinil, R$ 46,70 o galão de 3,6L na Tintas MC
Cinema em família. Assistir a vídeos antigos da família ou na Internet. Procurar no Youtube desenhos da sua época ou vídeos educativos. Idade: a partir de 2 anos. Sugestões: A Turma do Balão Mágico e Propaganda Comercial Café Seleto

15 MINUTOS

Ver álbum. Pegue um álbum da sua infância e mostre ao seu filho. Conte sobre a escola em que estudou, seus amigos ou alguma lembrança especial. Idade: a partir de 3 anos.
Pular corda. Crie desafios: “Senhoras e senhores, pulem num pé só. Senhoras e senhores, ponham a mão no chão”. Idade: a partir de 6 anos.
Pega-varetas. Exige concentração e raciocínio. Se não tiver o jogo de varetas coloridas em casa, vale jogar com fósforos ou palitos de dente. Idade: a partir de 5 anos.
Memória com cartas. Coloque as cartas com a figura voltada para baixo e encontre os pares. Idade: a partir de 4 anos.
Colagem. Recorte figuras de jornais velhos e faça colagens. Idade: a partir de 3 anos.
Quebra-cabeças. Escolha um jogo pequeno e fácil. Idade: a partir de 4 anos. Puzzle Disney 60 peças, Grow, R$ 14,90
Teatrinho. Use dedoches para inventar uma história ou aproveite os elementos do quarto: brinquedos e roupas que façam a história ficar mais divertida. Idade: todas.
Lanche. Vá para a cozinha com seu filho. Depois, faça uma bela mesa, como se fosse um banquete. Idade: a partir de 6 anos.
Pula Pirata. Os jogadores vão espetando o barril do pirata com as espadas. Se a espadada for no lugar errado, o pirata pula e o jogador perde. Idade: a partir de 5 anos. Pula Pirata, Estrela, R$ 39,90


30 MINUTOS

Contar. Invente uma história e estimule a imaginação da criança. Idade: todas.
Pintar. Forre bem o chão e use lápis, canetinha, guache... Idade: a partir de 1 ano.
Cara a Cara. Esse jogo é um clássico. Cada jogador tem de descobrir qual é o personagem escolhido pelo adversário. Idade: a partir de 6 anos. Cara a Cara, Estrela, R$ 39,90
Massinha. Estimula a criatividade. Dá pra substituir por argila, mas a meleca vai ser maior. Idade: a partir de 3 anos. Balde de diversão dos Backyardigans, Sunny Brinquedos, R$ 29,90
Palavras. Brinque de caça-palavras ou de palavras cruzadas. Idade: a partir de 7 anos.
Jogos de tabuleiro. Damas, ludo, dominó ou xadrez, conforme a idade da criança.
Cartões. Combine de criar cartões personalizados para o papai, para a mamãe, para a vovó... Idade: a partir de 4 anos.
Faz de conta. Brincar de casinha montando uma tenda com lençóis; ou de mercadinho, expondo alguns objetos para “vender”. Idade: a partir de 5 anos.
Caça ao tesouro. Estimula o espírito de aventura. Prepare as pistas e pense num prêmio. Idade: a partir de 6 anos.
Bicicleta. Aproveite a pedalada para bater papo. Idade: a partir de 6 anos.

45 MINUTOS

Detetive Júnior Scooby Doo. O objetivo é descobrir quem é o fantasma. Os detetives são da turma do Scooby Doo. Idade: a partir de 5 anos. Detetive Júnior Scooby Doo, Estrela, R$ 69,90
Circuitos. Faça circuitos com obstáculos – almofadas, cadeiras etc. – na sala de casa. Idade: a partir de 2 anos.
Montar. Brinque com torres de montar, faça castelos de cartas ou brinque com Lego. Idade: a partir de 5 anos. Linha LEGO City, Lego, R$ 269,90
Fantasia. Use fantasias e monte pequenas peças de teatro. As roupas não precisam ser compradas, use o que tem em casa: roupas de adultos, lençóis e bijuterias. Idade: a partir de 5 anos.
Aulas. Participe de aulas junto com as crianças. Idade: de 3 meses a 4 anos. Steps Baby Lounge, modalidades de música, movimento e artes. Valores: a partir de R$ 879,34 por trimestre para a dupla (adulto e criança). São Paulo, SP. www.stepsbabylounge.com.br * Boobambu Academia para Crianças, aulas de arte mamãe e bebê. Valores: a partir de R$ 109 (plano anual). Brasília, DF. www.boobambu.com.br
Inventar. Montem uma história juntos. Comece lendo algum livro e invente um novo final. Idade: a partir de 3 anos.
Karaokê. Quem canta seus males espanta. Então, ligue o rádio e mande ver. Idade: a partir de 3 anos.
Banda. Crie instrumentos musicais com latas, caixas, cabo de vassoura e apitos. Idade: a partir de 4 anos.
Doar. Escolha os objetos junto com as crianças. Assim, vocês relembram os bons momentos. Idade: a partir de 4 anos.

1 HORA

Peça de teatro. Leve seu filho ao teatro. Pesquise nos jornais ou na web. Veja nossa seção "Cultura e Diversão" com sugestões de teatro
Os Saltimbancos: sábados, às 15h, e domingos, às 16h. Oi Casa Grande, www.oicasagrande.oi.com.br
Dobradura. Brinque de fazer dobraduras em papel ou criar máscaras coloridas e divertidas. Idade: a partir de 5 anos.
Scrapbook. Monte um álbum com fotos, bilhetes, convites, lembranças e tudo que tiver guardado. Idade: a partir de 6 anos.
Banho. Prepare aquele longo banho de banheira cheio de brinquedos flutuantes e potes para encher e esvaziar. Idade: todas.
Reutilizar. Invente brinquedos a partir de objetos usados. Idade: a partir de 3 anos. Recicle! Reaproveite papel, plástico, metal e tecido e faça brinquedos divertidos!, de Jane Bull, Publifolha (www.publifolha.com.br), R$ 29,90
Jogo da Vida Feliz. O principal objetivo é ser feliz. Idade: a partir de 8 anos. Jogo da Vida Feliz, Estrela, R$ 84,90
Acampamento. Faça um acampamento no meio da sala. Você pode contar histórias da floresta e até dormir dentro da cabana com seu filho. Idade: a partir de 2 anos.
Piquenique. Prepare uma cestinha com sanduíches, frutas e sucos e leve seus filhos ao parque. Aproveite para brincar ao ar livre, contar histórias e observar o formato das nuvens. Idade: todas.
Baralho. Existe uma infinidade de jogos de baralho. Se seu filho for pequeno, pode jogar tapão. Para os mais crescidos, vale ensinar buraco. Idade: a partir de 5 anos.


2 HORAS

Artesanato. Se você tem o dom para a costura, ensine seus filhos. Se não, vocês podem aprender juntos, com aulas ou livros. Outra ideia é confeccionar bijuterias.
Foi feito por mim, de Jane Bull, Publifolha (www.publifolha.com.br), R$ 29,90
Zoológico. Você pode fazer cada vez um programa: zoológico, jardim botânico...  Sugestões: Jardim Botânico do Rio de Janeiro. Ingressos: R$ 5, crianças de até 7 anos não pagam. Rio de Janeiro, RJ. www.jbrj.gov.br
Fundação Zoo Botânica. Ingressos: R$ 4, crianças de até 12 anos não pagam. BR-116 - Parada 41 - Sapucaia do Sul, RS.
www.fzb.rs.gov.br
Fundação Zoo Botânica. Ingressos: R$ 4, crianças de até 12 anos não pagam. BR-116 - Parada 41 - Sapucaia do Sul, RS. www.fzb.rs.gov.br
Exposição. Leve seu filho para visitar a exposição do momento ou um museu da sua cidade. Idade: a partir de 4 anos.
Cinema. Deixe as crianças escolherem o filme e, depois, conversem sobre ele. Idade: a partir de 4 anos.
Livraria. Vá com seus filhos a uma boa livraria, folheie os livros, deite nos pufes e leia para as crianças. Idade: todas.
Aquário. Leve as crianças a um aquário. É uma boa forma de aprender. Idade: todas. Aquário de São Paulo. Ingressos: R$ 30, crianças de até 12 anos pagam R$ 20 e menores de 3 anos não pagam. São Paulo, SP. www.aquariodesaopaulo.com.br
Oficina. Participem juntos de oficinas.
O Passatempo, confecção e pintura de um jogo da memória em madeira. R$ 52 por dupla (adulto e criança) por oficina. www.opassatempo.com.br
Monopoly. O jogo clássico tem uma versão infantil. Aqui, o jogo se passa em um parque de diversões. Idade: de 5 a 8 anos. Monopoly Junior, Hasbro à venda na PBKids, R$ 59,99. SAC (11) 3825-7046, www.pbkids.com.br
Circo. Ir a um espetáculo de circo é bom, mas fazer uma aula é melhor ainda. Idade: a partir de 3 anos. Academia Brasileira de Circo. Duração da aula: 1h e 30min. Preço: R$ 35 adulto e R$ 25 criança (aula avulsa). São Paulo, SP. www.academiadecirco.com.br * Spasso Escola Popular de Circo. Duração da aula: 1h. Preço: R$ 30 (aula avulsa). Belo Horizonte, MG. www.circospasso.art.br

sábado, 24 de abril de 2010

Da série: viajando com os filhos.

Como já contei uma parte aqui, mês que vem vou viajar com a Cecília para o RJ.
Vamos de avião, a viagem é relativamente longa e estaremos SOZINHAS.
Nesse post aqui eu conto a nossa aventura de ir para o RJ ano passado, quando a Cecília tinha 2 meses, foi muito cansativo pra mim e para ela. Como esse ano a Cecília esta maior e pela experiencia do ano passado, quis mudar algumas coisas, e estou com receio de algumas coisas, como as malas (o que levar e o que não levar), a comida da Cecília, etc. Apezar de ano passado ter sido muito cansativo e estressante, eu acho que foi mais facil pela Ce ser um bebe e mamar e ficar QUIETA no colo, esse ano ainda não sei e minhas expectativas estão um turbilhão.
Já decidi que vou tentar dar a papinha da Nestle antes pra Ce, pra ver se ela come no dia da viagem, pra não ter que ficar entupindo a garota de porcaria e também porque vamos chegar muito tarde na casa do meu pai.
Eu acho que tem muitas mães e pais que como eu não sabem bem o que fazer durante a viagem com os pequenos. O que pode e o que não pode levar, essas coisas.
Com algumas dicas que me deram, vou fazer um Ctrl + c e Ctrl + v.
No blog da @lu_boury ela fez um post muito legal, com varias dicas e contanto com a experiencia profissional dela e como mãe, você pode ler na integra aqui, e algumas dicas que ela deu foram:
Segurança
• Se a viagem for de avião, dê o peito ou a mamadeira durante a decolagem e a aterrissagem, pois o movimento de sucção ameniza a dor de ouvido ocasionada pela pressurização ou despressurização.
• Quando for trocar seu bebê, confirme com a aeromoça se os próximos minutos serão seguros sem nenhuma instabilidade e turbulência por precaução. No banheiro, acima da privada há um trocador, é fácil de ser notado.
• Evite levar a bordo muitas bagagens, pois se o vôo estiver cheio as bagagens terão de ser despachadas de ultima hora ocasionando atraso e desconforto geral. Leve apenas bagagens de mão com coisas indispensáveis para o uso continuo.
• Caso queira levar o seu carrinho, você tem a opção de levar o bebê no carrinho até a porta do avião e pedir ao despachante que o despache na hora. Caso contrário, você pode verificar com a sua cia aérea se eles disponibilizam carrinhos infantis para que você leve o bebê mais facilmente até a aeronave. Não há nenhum valor adicional. Na saída, tanto ele quanto o seu (dependendo de sua escolha), estará prontinho esperando por vocês. Informe-se na cia aérea.
Alimentação e Conforto
• Se você não estiver amamentando, lembre-se de levar a fórmula em pó e a água já fervida para o trajeto da viagem (com doses a mais para o caso de atrasos ou imprevistos). Na hora de dar de mamar, é só preparar e chacoalhar. Não leve a fórmula já preparada, porque ela pode se deteriorar. No caso de uma viagem muito longa, você tem a opção de pedir água quente para a comissária (a água é potável, utilizada para fazer o café a bordo).
• Leve alguns dos brinquedos favoritos do seu filho, mas prefira os menores possíveis. Qualquer coisa que acenda e faça barulho, chocalhos, mordedores, bichinhos de pelúcia, livrinhos...

Você pode ter outras dicas no blog Mãe mochileira,filho malinha (um post bem divertido) e no site Meio Aéreo. Esses dois foram dicas da Vanessa do blog Lov Lilac e eu adorei.

E tem outro blog de uma mamãe que a filha dela é chará da minha (as duas se chamam Cecilia), eu não pedi pra ela, mas como ela foi pra Nova York esses dias e fez três posts bem legais onde ela conta algumas dicas e como foi a viagem dela com sua filha e marido, achei interessante citar aqui também. Vocês podem ler na integra aqui: Nova York para Crianças, grávidas e mães I, II, III.

Beijos e um ótimo fim de semana.

Cadeirinha no carro


Adorei esse banner super explicativo que veio no email do Kit em Casa, então recortei e colei aqui, espero que vocês também gostem.

Beijos

sexta-feira, 23 de abril de 2010

Nutrientes essenciais para o desenvolvimento do bebê

Dica via Twitter (@potencialtweet)

Escrito para o BabyCenter Brasil
Aprovado pelo Conselho Médico do BabyCenter Brasil

Nutriente Valores diários de referência Preciso tomar um suplemento? Função Fontes alimentares
Cálcio 800 mg (1.250 mg para mães que amamentam) Não Forma ossos e dentes fortes, além de nervos, coração e músculos saudáveis. Também ajuda a controlar a frequência cardíaca e o processo de coagulação do sangue. 200 ml de leite (230 mg), 200 ml de leite de soja fortificado (273 mg), 1 potinho de iogurte (225 mg), 4 figos secos (168 mg)
Cromo Não há dose de referência Não Regula os níveis de açúcar no sangue; estimula a síntese protéica em tecidos em desenvolvimento. 1 filé de frango grelhado pequeno sem pele (22 mcg), 1 fatia de pão integral (16 mcg)
Cobre 1,2 mg (1,5 mg para mães que amamentam) Não Ajuda a formar o coração, o sistema nervoso, as artérias e vasos sanguíneos 1 xícara de lentilha (0,50 mg), 4 colheres de sopa de feijão (0,24 mg), 1 manga (0,25 mg)
Flúor Não há dose de referência Não Necessário no início da formação dos dentes do bebê, aos 10 semanas de gestação; no segundo e terceiro trimestres, é fundamental para desenvolver os dentes incisivos, os molares e os "botões" dos dentes permanentes (sob a gengiva) Água filtrada (em cerca de 60 por cento dos municípios brasileiros o flúor é acrescentado à água da rede pública), 1 xícara de couve cozida (0,205 mg), 1 maçã (0,093 mg)
Ácido fólico 300 mcg (360 mcg para mães que amamentam), além de suplemento de 400 mcg antes da concepção e nos três primeiros meses de gestação Sim É um componente fundamental do líquor e ajuda a fechar o tubo que abriga o sistema nervoso central; além disso, auxilia na síntese do DNA e na função cerebral. verduras escuras, como por exemplo o brócolis( 61 mcg), uma laranja grande (54 mcg)
Iodo 140 mcg Não Regula o metabolismo e ajuda a desenvolver o sistema nervoso. Sal iodado, peixe, algas, leite e laticínios.
Ferro 27 mg Sim, sob prescrição médica. Fabrica glóbulos vermelhos e repassa oxigênio às células para energia e crescimento; constitui ossos e dentes. 1 bife pequeno (cerca de 2,4 mg), 4 colheres de sopa de grão-de-bico cozido (2,2 mg), 2 colheres e meia de sopa de ervilhas (1,1 mg)
Magnésio 270 mg (320 mg para mães que amamentam) Não Ajuda a formar ossos e dentes fortes, regula os níveis de insulina e açúcar no sangue, constrói e conserta tecidos 9 castanhas-do-pará (123 mg), 2 colheres e meia de sopa de espinafre (44 mg), 2 colheres e meia de sopa de quiabo (77 mg); 4 colheres de sopa de arroz integral (71 mg)
Manganês Não há dose de referência Não Auxilia na formação dos ossos e do pâncreas e na síntese de gorduras e carboidratos 170 g de arroz integral cozido (6,93 mg), 175 g de feijão preto cozido (0,76 mg)
Ácido pantotênico Não há dose de referência Não Regula a atividade supra-renal, a produção de anticorpos, desenvolvimento e metabolismo de proteínas e gorduras. 1 ovo cozido (1,1 mg), meio abacate (1,1 mg), 1 xícara de leite (1.0 mg)
Fósforo 1,2 g (990 mg para mães que amamentam) Não Forma dentes e ossos fortes; desenvolve a coagulação do sangue e frequência cardíaca normal. 175 g de feijão cozido (273 mg), 1 xícara de leite (247 mg)
Potássio 3,5 g Não Auxilia na atividade muscular e contrações, no metabolismo e na função nervosa. 1 batata grande assada (844,4 mg), 1 xícara de uva-passa (575 mg), 10 apricots secos (482 mg)
Riboflavina (vitamina B2) 1,14 mg (1,16 mg para mães que amamentam) Não Promove o crescimento, boa visão e pele saudável; é essencial para os ossos, músculos e desenvolvimento nervoso do bebê. 1 xícara de iogurte 0,5 mg), meia xícara de cogumelos fervidos (0.2 mg), meia xícara de ricota (0,2 mg)
Tiamina (vitamina B1) 0,9 mg (1,0 mg para mães que amamentam) Não Converte carboidratos em energia; é essencial para o desenvolvimento do cérebro e também ajuda na formação do coração e do sistema nervoso. carnes, arroz integral, gema de ovo, feijão
Vitamina A 700 mcg (950 para mães que amamentam) Não Importante para o desenvolvimento celular e dos olhos, para uma pele saudável, mucosas, resistência a infecções, crescimento dos ossos, metabolismo de gorduras e produção de glóbulos vermelhos. suco de cenoura, batata doce, melão
Vitamina B6 0,96 mg Não Auxilia no metabolismo de proteínas, gorduras e carboidratos; ajuda a formar novos glóbulos vermelhos e a desenvolver o cérebro e o sistema nervoso 1 banana 0,7 mg), 1 batata grande do tipo para assar (0,7 mg), 1 xícara de grão-de-bico (0,6 mg), 1 filé de frango pequeno (0,5 mg)
Vitamina C 50 mg (80 mg para mães que amamentam) Não Essencial para reparação de tecidos e produção de colágeno; ajuda no crescimento e na formação de ossos e dentes fortes. 1 copo de suco de laranja (124 mg), 1 xícara de morangos (84,5 mg), 2 flores de brócolis (32 mg), 2 tomates (30 mg)
Vitamina D 10 mcg Não Ajuda a formar ossos e dentes. 1 filé de salmão (0,22 mg), 200 ml de leite (0,08 mg); 2 filés de linguado (0,36 mg)
Zinco 7 mg (9,5 mg para mães que amamentam) Sim Ajuda a formar órgãos e os sistemas nervoso e circulatório. carne de vaca, carne de cordeiro, semente de girassol, atum em lata
 

Os Dez Mandamentos da Maternidade

O Livro do Bebê Feliz - 50 Coisas que toda Mamãe Deveria Saber (E. Alles Trade).

Veja algumas dicas para encarar aqueles dias mais difíceis com bom humor:
Os Dez Mandamentos da Maternidade

1.Renunciarás a uma casa limpa
2.Possivelmente, nunca mais terás uma conversa sem ser interrompida
 3.Aprenderás a fazer compras às pressas
4.Não cobiçarás a vida social da próxima
5.Agora deverás realmente honrar tua mãe e teu pai
6.Não terás todas as respostas
7.Não mais precisarás de um relógio com alarme
8.Deverás fazer cinco tentativas frustradas até conseguir sair de casa
9.Perguntarás a ti mesma o que fazias com teu tempo
10.Saberás que tudo isso vale a pena

Como espantar o cansaço depois de uma noite maldormida

Confira três ideias naturais para espantar o sono (e as olheiras)

Redação Crescer

Shutterstock
Não dormiu direito esta noite porque seu filho parecia estar com febre? Veja três ideias naturais para espantar o sono (e as olheiras)
Suco para dar disposição
Anote essa receita que promete uma dose extra de energia:

Bata no liquidificador 1 xícara de uva verde sem sementes, 3 kiwis, 1 laranja-lima descascada com o bagaço, 100 ml de água e pedras de gelo. Beba sem coar. Evite açúcar refinado. Se for adoçar, prefira mel ou aspartame natural.
Chá contra olheiras
Prepare um chá de camomila bem forte, deixe esfriar e coloque-o na geladeira até ficar gelado. Faça compressas com o chá e deixe-as sobre os olhos por 15 minutos. Elas relaxam e clareiam as olheiras porque a temperatura fria causa uma contração dos vasos. Você também pode usar fatias de pepino ou chumaços de algodão embebidos em água boricada gelada.
Exercício que desperta
Para dar disposição, o melhor é fazer um alongamento ainda na cama. Os exercícios abaixo ativam a circulação. Mantenha cada posição por 20 segundos.
1. Comece com uma boa espreguiçada. Em seguida, fique sentada com a coluna reta e estenda as pernas em cima da cama. Tente alcançar a ponta dos pés.
2. Deite novamente, flexione e abrace as pernas, girando o corpo levemente para os lados.
3. Sente com os pés apoiados no chão e com a coluna reta. Tente encostar a orelha no ombro, mexendo apenas a cabeça. Em seguida, gire a cabeça para os lados.
4. Por fim, fique em pé, entrelace os dedos nas costas e levante os braços até o seu limite.
Fontes: Daniela Hueb, nutróloga e dermatologista; Fabianna Queiroz, professora de educação física e consultora da Contours.

segunda-feira, 19 de abril de 2010

Mamãe se preparando psicologicamente pra viajar ou o que dar para Cecília comer na viagem.

Dia 7 de maio eu e Cecília vamos viajar sozinhas de avião. Vamos para o Rio de Janeiro matar a saudades do meu pai e familia, eu vou aproveitar para ir ao casamento da minha amiga, rever a civilização, passear e fazer compras.
Como boa virginiana que sou ja estou sofrendo por antecipação com algumas questões, tipo o que levar, o que não levar, o que dar para Cecília comer...etc...
Mas a minha preocupação do momento é que estarei alguns pés de altura na hora da janta da Cecília, não sei se tem comida pra neném no avião, e como não quero entupir a garota de mamadeira e porcarias estava pensando em dar a famosa Papinha da Nestle.
Uma vez quando fui pra Palmas e ela era novinha tentei dar uma de frutas pra ela e ela não gostou, e convenhamos o "treco" não tem um cheiro muito agradavel.
Eu até poderia levar uma marmita pra ela comer, mas já terei que levar tanta coisa!!! Que seriamente acho que a Papinha da Nestlé seria uma mão na roda, o potinho é pequeno e não ocupa espaço.
Só que como nunca dei essa papinha pra Cecília de novo, ainda mais a de sal, não sei como fazer nas questões:
- posso dar ela na temperatura natural?
- como torna-la mais atraente de maneira prática e rápida?
A Cecília de papinha papada, ela gosta de pedaços de mastigar, qual papinha é a mais indicada?
A de frutas eu já descartei porque a Cecília nunca gostou muito de fruta raspada,ralada, aos pedaços, inteira... já tentei de todos os jeitos, fruta ela só gosta no suco ou vitamina.
Vocês têm alguma ideia/ajuda/mandinga pra me dar?? Aceito todas!

EDITANDO: Saio aqui de Araguaina as 16:05 hrs e chego no Rio as 22 hrs.

Boa noite e beijinhos.

EDITANDO 2: Obrigada meninas pelas dicas.
Estou procurando aqui nos supermercados a papinha da Nestle da fase 3 que foi a que me interessou e acho que a Cecília deve gostar, Por enquanto só encontrei fase 2, parece q ta em falta a 3.
Também vou procurar saber da Tam sobre a refeição e sobre a ajuda para esquentar, mas ao que parece estarei chegando em Brasilia as 18:30 (hr da janta) então devo dar o papá lá pelo aeroporto mesmo.
Se a Cecília não gostar mesmo da papinha pronta, acho que vou levar uma marmitinha mesmo e tento enfiar guela abaixo na garota (rs). Também vou levar mamadeira de suco e leite e algumas bolachinhas pra enganar.
Me deram algumas dicas de posts sobre viagem com bebe, e embreve farei um, vou fazer as pesquisas.

PS: Quero registrar que quando viajei com a Cecília ano passado, foi muito mais traquilo na questão alimentação porque ela mamava no peito então tinha um restaurante ambulante. Agora fora as tralhas habituais, ainda têm as papinhas + mamadeiras...

Beijos.

ANVISA aprova vacina 13-valente — BEBE.COM.BR

ANVISA aprova vacina 13-valente — BEBE.COM.BR

sábado, 17 de abril de 2010

De bumbum pra cima até na rede.

Adoro ver a Cecília dormindo e é muito engraçado porque desde novinha ela dorme de bumbum pra cima (como ja contei aqui). Mas essa cena eu nao resisti, até na rede!!
haha

Diz ai? É ou não é uma fofa?
Beijos

quinta-feira, 15 de abril de 2010

Como escolher a cadeirinha ideal

Definir corretamente a cadeirinha é o primeiro passo para garantir a segurança da criança dentro do carro. Um item importante, por exemplo, é levar em conta a idade e o peso do ocupante mirim. Veja a seguir as informações a considerar na hora da compra de um assento infantil.

Fotos: Alex Silva Produção: Alê Ravizza Agradecimentos: Chicco, Pbkids e Chicletaria estrada com crianças pequenas Como sei qual cadeira escolher

O primeiro passo para escolher a cadeirinha de carro ideal é verificar em qual grupo seu filho se encontra - isso tem a ver, basicamente, com o peso da criança. Com base na avaliação, você saberá qual modelo escolher: bebê-conforto, assento de segurança ou assento de elevação. Veja abaixo

Grupo 0+ - Bebês de até 13 kg (o limite recomendado já foi de 9 kg, mas hoje o padrão de segurança passou a ser de 13 kg, daí o símbolo de "mais" colocado depois do 0) ou qualquer criança abaixo de 1 ano.

Grupo 1 - Bebês de 9 a 18 kg necessariamente acima de 1 ano (embora se recomende atrasar o máximo possível a troca do bebê-conforto pelo assento de segurança), chegando até os 3 ou 4 anos, dependendo do desenvolvimento da criança.

Grupo 2 - Crianças de 15 a 25 kg, geralmente entre 3 e 8 anos.

Grupo 3 - Crianças de 22 a 36 kg, geralmente entre 5 e 10 anos.

Indicação conforme o tipo de assento
Peso Tipo de assento Grupo de massa
0 a 13 kg Bebê-conforto 0+
0 a 18 kg Bebê-conforto conversível em assento de segurança 0+ e 1
0 a 25 kg Bebê-conforto conversível em assento de segurança 0+, 1 e 2
9 a 18 kg Assento de segurança 1
9 a 36 kg Assento de segurança conversível em assento de elevação* 1, 2 e 3
15 a 36 kg Assento de elevação* 2 e 3
* A criança precisa ser alta o bastante para o cinto não machucar seu pescoço.

Qual tipo devo comprar

A rigor, todas as cadeiras certificadas podem ser usadas conforme suas especificações, embora especialistas defendam um tratamento mais cauteloso a recém-nascidos, particularmente os prematuros. Para as crianças nessa faixa etária, eles recomendam que o assento seja a versão exclusiva para o Grupo 0+ e não a conversível. Portanto, se você pretende adquirir um modelo conversível para não ter de gastar duas ou três vezes com cadeirinhas, use um bebê-conforto emprestado até a criança completar 3 meses ou então evite circular de carro com ela nesse período.

quarta-feira, 14 de abril de 2010

Primeiro Amor - Video

Vi esse video no blog da Si Collet e fiquei morrendo de dó da garotinha. Só assistindo pra saber.



O que fazer numa situação dessas?
Beijos

terça-feira, 13 de abril de 2010

Criança e festa "de adulto" ou Cecília e os casamentos das amigas da mamãe.

Essa postagem é dedicada para minha amiga Lívia.

Quando a Cecília tinha 4 meses eu fui a um casamento com ela, mesmo o casamento sendo a noite pude e tive que leva-lá comigo pois ela era muito pequena e ainda mamava o peito, eu tinha a compania das minhas amigas (que poderiam me ajudar e ajudaram) e o "casamento + jantar" era no mesmo local, não teve baile, nem festa, nem bebidas alcoolicas e acabou super cedo.
Esse ano eu tenho uns QUARTO casamentos para ir e decidi que não vou levar a Cecília em nenhum!
Agora vocês me perguntam: Tenikey porque você não quer levar a Cecília nos casamentos das suas amigas?


Tenho dois casamentos para ir um no dia 30/04 (casamento n°1) e outro no dia 14/05 (casamento n°2), ambos serão realiados a noite, sendo o n°1 aqui na cidade onde eu moro e o casamento n°2 será no Rio de Janeiro.
Eu decidi que não levarei a Cecília em nenhum dos dois casamentos porque:
-irei sozinha a eles;
-eles serão a noite - bem no horário que a Cecília costuma dormir;
-não acho que vai ser confortável para uma criança de 1 ano;
-nenhum dos dois casamentos vai ter um espaço reservado para criança;
E finalmente porque se a Cecília for comigo eu não vou aproveitar o casamento e nem a festa de casamento.

No casamento n°1 minha amiga não restringiu criança, até porque a familia dela é bem grande e ela tem vários primos/sobrinhos pequenos, mas recebi convite somente para mim, então não tenho como levar um acompanhante para ir comigo (caso eu quisesse levar a Cecília) para me ajudar. O casamento n°1 vai ser realizado em uma chácara que fica um pouco distante, e eu vou de carona, então se a Cecília fosse comigo e ficasse com sono e eu quisesse ir embora eu não teria como, a Cecília ia ficar casada e agitada e eu angustiada sem ter muito o que fazer.

No casamento n°2 minha amiga (a noiva) quer muito que eu leve a Cecília comigo, mas eu já disse que não vou levar, já expliquei meus motivos (todos os de cima) e mesmo assim ela esta chateada.
Eu estou numa situação bem complicada, nós moramos no TO vou para o RJ com a Cecília e ficaremos na casa do meu pai (que mora na Tijuca) e o casamento dela vai ser em São Gonçalo (onde ela mora), vou dormir lá na casa dela e ficarei de favor/visita, a única pessoa que a Cecília convive é comigo, ela vai estar em um ambiente totalmente estranho (e eu também), acho muita judiação com minha filha ficar levando ela pra lá e pra cá. Minha amiga disse que vai passar o dia todo num spa (dia da noiva) como que eu fico numa casa em que eu não conheço ninguem ainda mais com uma criança, me diz? Fora que o casamento é na igreja e a festa em outro lugar, se a Cecília ficar cansada/sono/irritada como faço pra ir embora? Enfio a Cecília de volta no meu útero? Então para ir ao casamento n°2 vou deixar a Cecília com meu pai (vódrasta, bisavós, tia avó, tios), durmo por lá, aproveito a festa e volto no dia seguinte.
A Cecília não é de estranhar pessoas mas eu realmente não sei como vai ser quando formos para o RJ, afinal ultima vez que nós fomos ela tinha apenas 2 meses, muita coisa já aconteceu, a Cecília cresceu, e hoje praticamente ela não conhece ninguém lá né!? Eu vou pro RJ uns dias antes do casamento n°2  justamente pra Cecília se acostumar com o povo lá de casa e eu poder ir pro casamento tranquila.

Eu até cogitei levar a Cecília nos casamentos, afinal ela também foi convidada pelos noivos, mas como levar se o local não dispõe de fraldário, espaço reservado para criança e eu não vou ter acompanhante? Pedi várias opiniões para algumas amigas, no twitter e fiz algumas pesquisas sobre esse assunto.
No Twitter:
- A @marlagass disse que acha melhor deixar a criança em casa ou ficar pelo menos ate o jantar porque levar criança pra festa desgasta todo mundo, ela contou também que já levou a filha dela no casamento de uma prima e que foi uma "tri função", ela não aproveitou nada e nem conseguiu conversar com ninguem.
- A @LILIMOITINHO disse que já levou o filho em vários casamentos, e que dá muito trabalho mas que sempre vai acompanhada do marido, sogra ou cunhadas.
- A @ConsuZurloNepo contou que nunca passou por isso ainda, mas que se o casamento fosse de alguém da familia ela levaria e que sabe que ficaria super estressada.

No MSN
Minha amiga Lianja contou que já levou sua filha em um casamento e que na hora do beijo a fofa gritou "eca! que nojo!" e que tinha uma mãe ao lado que teve que assistir a cerimônia do lado de fora da igreja pois o bebê não parava de chorar.

Nas pesquisas:
Nos blogs Quando eu Casar e Vanessa e Fernando tem um post bem legal, mas fala sobre quando os noivos não querem a presença de crianças no casamento e as controversias que esse desejo pode causar, bem estar ou mal estar nos convidados e na familia e o que fazer quando se quer crianças na festa de casamento.
No blog Noiva.com a Gabrieli Chanas mostra um save de date bem discreto e direto sobre festa para adulto. Achei bem interessante e com esse jeitinho discreto e educado os pais podem se organizar no que fazer com as crianças.
Se os noivos aceitasm e querem a presença de crianças na festa o Vale Casar ensina o que fazer com elas na festa. Algumas dicas deles são:
  • Sala de Cochilo – Crie no salão, juntamente com a sua decoradora, um espaço onde vocês possam espalhar alguns colchonetes e uma televisão com filmes infantis para que as crianças possam dormir caso já estejam cansadas.
  • Mesa de Atividades – Monte no salão uma mesa com lápis de cor, giz de cera, livro, papel e brinquedos silenciosos. É distração garantida.
  • Mesa de Guloseimas – Uma ótima alternativa para o paladar infantil e também para controlar a ansiedade de atacar sua mesa de doces e bem casados antes do tempo! Converse com sua doceira e peça a ela que desenvolva uma mesa bem colorida com diversas opções de guloseimas. Sugestões: Marshmallows, pirulitos, balas mastigáveis, chocolates, algodão doce, brigadeiro, cajuzinho e beijinho.
E a Carla e Liana da Wedding&Co. ensinam uma maneira elegante de não convidar crianças para o casamento aqui.

E com vocês? Já aconteceu uma situação parecida? O que vocês fizeram e se levaram as crianças como elas se comportaram?
Será que eu estou errada de não querer levar a minha filha?

Beijinhos...

sexta-feira, 9 de abril de 2010

Socialização infantil no ambiente familiar

Uma das mais importantes funções dos pais é o processo de socialização da criança, ensinando-lhe os padrões de conduta e de moral, de acordo com a cultura em que vivem e acreditam ser o ideal.

Desde o nascimento, o bebê observa o mundo ao seu redor e, em especial, seus próprios pais, ou seja, o modo como se comportam, sentem e expressam seus sentimentos e atitudes de agrado e desagrado.
Por volta dos sete, oito meses e que coincide com o momento em que se percebe um ser diferenciado da mãe, a observação começa a apresentar um objetivo prático: a imitação. É através da imitação que se dá a maior aprendizagem da criança. Ela vai absorvendo tudo o que consegue e é possível, de acordo com sua maturação.
O modo como os pais reagem à imitação infantil, com risadas e elogios ou críticas negativas, vai incentivar ou reprimir o bebê, uma vez que ele pode imitar também os aspectos não aceitáveis do comportamento e atitudes paternas.
É aqui que se deve tomar muito cuidado, já que a tendência dos adultos é acreditar que os bebês não prestam atenção ou mesmo não compreendem o que estão vendo e ouvindo.
Pode-se dizer que muitos dos padrões e valores a criança aprende por observação dos pais e dos adultos mais próximos, como avós, tios e também com irmãos mais velhos e outras crianças de seu convívio.
Como cada criança é um indivíduo único, o modo como os pais interagem com cada filho deverá estar de acordo com o temperamento e personalidade de cada um, apesar de que os valores sociais e morais são os mesmos para todos.
Se a ligação afetiva que se estabelece na família for sólida, à medida que a criança for crescendo adotará comportamentos que sabe são esperados pelos pais e, consequentemente, pela sociedade e cultura na qual estão inseridos. Importante dizer que se ela perceber que ainda é incapaz de alcançar os padrões de comportamento impostos por eles, sentirá muita angústia e desespero. Muita paciência e compreensão neste momento.
A partir dos dois anos e meio, a criança começa a adquirir noções de certo e errado, do bem e do mal. Tornam-se mais sociáveis e compreendem melhor como funcionam as relações. É claro que algumas crianças são mais sociáveis que outras mas, de certa forma, já aceitam mais tranquilamente as que são estranhas, brincando com elas também, principalmente se desde muito cedo conviveram com outros bebês.
Sendo a família o centro do mundo social do bebê, são os pais os modelos de comportamento. Portanto é fundamental que sejam coerentes e constantes com o que esperam que seja aceitável ou não e ajam de acordo, para não confundirem a cabecinha de seu filho.
Entre dois anos e meio e três anos, a criança começa a assimilar que seus atos podem ter consequências, que não pode fazer tudo o que deseja, principalmente se afetar outra pessoa.
É esperado que se ela não ver agressão dentro do ambiente familiar, aprenda a solucionar seus problemas mais adequadamente, muito embora a violência está exposta em todos os veículos de comunicação diariamente, tornando inviável que não tenha contato de alguma forma
Os pais devem lidar com esta questão, discursando sobre a diversidade de comportamentos e de culturas que existe na sociedade e expressando honestamente seus conceitos e sentimentos de aprovação ou desaprovação, conforme o caso.
Cabe aos pais ensinar seu filho a respeitar regras e limites do grupo a que pertencem, formando uma consciência moral e social com muito amor e compreensão, mas sempre com autoridade e disciplina. Afinal, a socialização na esfera familiar funciona como uma preparação para a introdução adequada num universo muito maior.
Ana Maria Moratelli da Silva Rico

Como deve ser o pratinho do bebê?

Ao deixar de se alimentar exclusivamente do leite materno, o bebê deve ter assegurado o direito à alimentação balanceada, com ingestão de ferro e demais micronutrientes, proteínas, carboidratos e gorduras de maneira balanceada e variada. Nesta fase é muito importante assegurar as necessidades calóricas do bebê, de cerca de 100 calorias/kg.
Alimentação do bebê - Guia do Bebê
O sal também não deve ser utilizado em excesso por quem prepara as refeições do bebê, pois pode causar um vínculo com o alimento salgado de difícil dissolução durante o desenvolvimento infantil. A criança pode passar a considerar 'muito sem graça' o sabor das frutas, verduras e alimentos preparados com quantidades adequadas de sal e dar preferência a alimentos industrializados, geralmente com maior teor de sal, como os salgadinhos chips.
Como o Instituto de Medicina dos Estados Unidos (IOM) - que é referência mundial - ainda não estabeleceu uma proporção de energia proveniente dos nutrientes essenciais para cada refeição, na faixa etária entre 7 a 12 meses os valores adotados são os mesmos propostos para crianças de 1 a 3 anos, que devem ser de 5% a 20% de proteínas, 30% a 40% de lipídios e 45% a 65% de carboidratos.
Prevenindo a anemia
A anemia é definida pela Organização Mundial de Saúde (OMS) como a condição na qual o conteúdo de hemoglobina no sangue está abaixo do normal. Existem várias causas para o aparecimento da anemia, mas a deficiência de ferro - devido a uma dieta inadequada às necessidades do organismo - é responsável por 90% das anemias em crianças e adolescentes.
A grande necessidade de ferro na primeira infância torna difícil que os níveis adequados sejam supridos sem uma suplementação à dieta, quase obrigatória nesta fase da vida. A recomendação da Sociedade Brasileira de Pediatria é de 1,0mg/kg/dia de ferro para todas as crianças de 6-26 meses, ou seja, logo após o desmame.
Além da suplementação, a dieta dessas crianças deve conter alimentos ricos em ferro, como carnes vermelhas, vísceras (fígado) e ovo. Vale lembrar que o ferro do feijão e de legumes verdes escuros (espinafre) só é absorvido pelo organismo na presença de vitamina C, daí a importância do suco de laranja natural na refeição. Outro importante aliado na prevenção da anemia em bebês é o leite integral suplementado com ferro.
Construindo o futuro
O período conhecido como desmame ou fase de transição, quando bem conduzido, permitirá à criança conhecer diferentes sabores e criar bons hábitos alimentares, como o de apreciar verduras, frutas e legumes, por exemplo. O desmame é a transição do alimento líquido para os sólidos e semi-sólidos. É um processo que deve ser feito gradativamente após os seis meses de idade. Só depois disso o aparelho digestivo da criança estará pronto para receber outros alimentos. É fundamental apresentar alimentos variados e saudáveis aos bebês nesta fase, para plantarmos a semente dos bons hábitos alimentares.
Esse período também contribui para outro tipo de treino, o da mastigação. É importante que a mãe ofereça à criança alimentos amassados com o garfo, ao invés de batidos no liquidificador. No início, o bebê estranha a textura. Mas é bom que ele se habitue a mastigar, para desenvolver todas as estruturas da boca, o que contribuirá para o bom posicionamento dos dentes e a conseqüente articulação correta das palavras.
Dra. Ellen Paiva

quarta-feira, 7 de abril de 2010

Aniversário da Tia Jaala.

Ontem foi o aniversário da minha irmã mais nova, a Jaala, ela completou 17 aninhos.
E nós fomos comemorar no "japonês". Foi muito bom!!!
Cecília não gosta de comida japonesa (ainda) então ela detonou uma porção de batatinhas fritas.

Segue algumas fotos:

Jaala com os amigos.
Cecília e Jaala.
Nós três.

Ontem também foi o aniversário da minha avó paterna, Mioko que mora lá em SP, morro de saudades e se tudo der certo mês que vem vamos vê-la.
E hoje dia 7 de abril é aniversário do meu irmão caçula Felipe que esta completando 12 primaveras. 
Maninho te amo e estou com muitas de saudades, logo vamos nos ver!!!

Beijinhos!

segunda-feira, 5 de abril de 2010

Cecília a mágica:

Simsalabim! 
Simsalabão! 
Abracadabra perna de cabra!
Ops!! 
Mas cadê o coelinho que tinha que sair daqui de dentro?

Beijos.

5 sinais que seu bebê ama você

Confira algumas pistas que o seu filho dá para demonstrar o amor que sente por você

Crescer

A rotina parece não variar tanto. Assim que nasce, seu filho praticamente chora, mama e dorme. Mas, entre uma soneca e outra, você vai perceber algumas pistas sutis do amor que ele sente por você. Veja só:
Olhar fixo
Desde que ele nasce, você está sendo observada. Seu bebê não consegue tirar os olhos de você. Por isso, ele a segue com o olhar por todos os lugares. Ele não sabe nada sobre o mundo, mas sabe que você é importante.
Opinião que importa
A partir dos 9 meses, seu bebê vai tentar dividir todos os desejos com você. E vai fazer isso de uma forma divertida, oferecendo objetos, repetindo gestos ou emitindo sons para chamar a sua atenção.
Sempre perto
Seu filho fica aflito quando você não está por perto. Isso acontece por volta dos 8 meses, quando eles começam a ficar tímidos na presença de estranhos. Essa é, talvez, a mais clara declaração de amor.
Sorriso pede sorriso
Tem momento mais gostoso do que aquele em que seu bebê gargalha quando você sorri para ele? Aos 2 meses, isso começa a acontecer. Quanto mais contato vocês tiverem, melhor será a troca de sorrisos!
Confiança e aconchego
Sempre que ele cai, está triste, com sono, sede ou precisa de algo, ele recorre a você. E será assim por toda a vida. Ele confia em você e isso vale muito mais do que dizer “eu te amo”, não é mesmo?
Consultor: Hamilton Robledo, pediatra do Hospital São Camilo (SP)
Shutterstock

domingo, 4 de abril de 2010

Cecília em Feliz Páscoa!

Segunda Páscoa da Cecília, mas vale como a primeira pois só esse ano ela pôde comer seus ovos de chocolate.
A disputa pelo chocolate aqui esta grande, Cecília já ganhou 2 ovos de páscoa um meu que foi o da Pucca e um da bisavó que foi das Meninas Super Poderosas e eu ganhei um ovo Talento da minha avó, então contabilizamos 3 ovos pra nós duas.. haha Eu e ela adoramos!!!
A divisão do chocolate é a seguinte 90% pra mamãe e 10% pra Cecília, se não da dor de barriga né.

Ovo da Pucca
Nhac - Nhac
Esse ovo já era. 

A Cecília é como eu, ela ADORA chocolate, é a única besteira que eu dou (de vez em quando) pra ela.

Queremos desejar pra todos uma Feliz Páscoa!
Beijos...