segunda-feira, 22 de fevereiro de 2010

Da série: fazendo bagunça.

Eu não sou mãe esterica e também não fico proibindo a Cecília de fazer e descobrir as coisas, mas parece que ela adora/ama fazer justamente as coisas que eu não quero que ela faça, porque é perigoso e pode machucar, como: mexer em tomada, brincar com talheres, subir no rack da sala (esse me aparova!), coisas assim...
Ela sabe que eu não gosto e ela sabe q eu vou chamar a atenção dela, então ela se arma na maior cara de safada e olha nos meus olhos "dizendo" - mamãe vou aprontar.
Eu peço uma vez, peço duas, tiro ela de perto do lugar perigoso, explico, e ela insiste (claro) como toda criança. Ela quer testar, testar sua sorte e a minha, testar até onde eu vou ter paciência, testar se eu finalmente vou permitir ela cometer tal infração... Mas toda mãe (acho) que tem aqueles dias que perde um pouco as estribeiras, seja na TPM, seja por cansaço, mas como fazer um bebê de 1 ano e 2 meses entender que não pode mexer com faca, ou subir em cima de uma mesa, ou enfiar o dedo na tomada, ou abrir o armario da cozinha e jogar os pratos de vidro no chão, sem gritar/perder a paciência ou até dar um tapinha na mão?
Eu simplesmente odeio gritar ou perder a paciência com a Cecília, sou extremamente contra gritos, porque a ultima coisa que eu quero é me tornar uma mãe que minha mãe muitas vezes foi comigo. Mas como posso fazer pra Cecília não me esgotar? Como posso fazer pra não me render a um tapinha? Sou muito contra esse tipo de correção. Mas como depois de pedir, explicar, mostar e afastar e ela, como faço pra não me render ao estresse, ao teste, ao casaço?
Juro que já tem alguns atos que a Cecília faz que eu já "larguei de mão" simplesmente me deixei vencer, pois por mais que eu proiba, a avó e a bisavó deixam ela fazer. Não quero ser a chata que nunca deixa nada, e elas serem as legais.. (oi?)


Mas e vocês como vocês agem nessas situações?

Beijos.

3 comentários:

Laura de Oliveira disse...

Gente,

Que engraçada essa foto!!! kkkkkkkkk

Teh,

eu passo pelas mesmas situações... será que existe alguma mãe que não passa??kkkkk

Eles são desafiadores mesmo, incrível como são rápidos e espertos! Aff

Quando o Samuel faz alguma coisa que me embraquece os cabelos, falo que não pode, que vai machucar, essas coisas mesmo que você disse.

Mas acho que o jeito é sempre ficar ligada e ir orientando. Aos poucos eles aprendem. Mas, ah! Como é difícil relaxar enquanto essas crianças espevitam que só...

BjO.

Adorei esse post :)

Laura de Oliveira disse...

Teh

Voltei pra contar mais uma coisa: no carnaval, Samuel subiu no sofá mais de mil vezes e pulava lá de cima.

Há séculos ele vem fazendo isso e eu e o Jorge estamos que não aguentamos de tanto falar. Tem hora que a paciência vai pras cucuias total...

Então, menina: ele caiu, rachou o côco no chão. Deu um galo enorme, ficou roxo, amarelo, verde... inchado por muitos dias.

Adiantou??? NÃO!!!!

Criança é fogo, viu?

:: Consuelo :: disse...

Já tive fases de me estressar e gritar e ficar mal por ter gritado e sabe o que aconteceu? Nada. As crianças, como diz uma conhecida, são uma folha em branco pra gente ensinar tudo. Tem coisas que desencanei, se não for pergigoso deixo bagunçar e depois arrumo; senão, não deixo ao alcance, coloco travas e fico de olho o tempo todo, tento distrair. É bem desgastante, mas ainda não descobri outra forma.