sexta-feira, 18 de dezembro de 2009

Tic Tac mais um ano se passou...

Falta exatamente 1 semana para o Natal, 13 dias para acabar o ano, 14 dias para Cecília completar 1 ano e 3 semanas e 1 dia para a festa de aniversário dela.
Que contagem regressiva estressante... Para uma pessoa ansiosa como eu, é quase o fim!!!
Ano passado nessa época eu estava com um mega barrigão, me achando feia, gorda, cansada e muito mais ansiosa do que estou agora. Não via a hora da minha filha nascer, conhecer ela, ver cada detalhe do seu corpo e amar... Amar muito aquele pequeno ser que eu gerei.

A Cecília é a minha vida, minha força e a coisinha mais linda que eu já fiz. (A burrada mais linda e perfeita)
Tenho muito orgulho de ter ela como filha, de ter sido a escolhida pra colocar uma pessoinha tão boa e cativante no mundo.
Tudo que eu passei quando estava grávida, as raivas, os medos, os desejos...são uma lembrança distante, fora da realidade, mas que eu nunca vou esquecer. Nunca vou esquecer o quanto eu cresci, o quanto eu mudei, o quanto me tornei responsavel por mim. Sempre digo que a Cecília é o meu melhor, porque eu quero ser melhor pra ela, porque quero tornar o mundo melhor pra ela e depois que engravidei dela eu me tornei uma pessoa melhor.

Como o tempo passou rápido!!! Ela mal nasceu e já vai completar 1 ano.
Esse ano eu fui mãe em tempo intergral, amamentei exclusivamente até o 6 meses e continuei amamentando até os 9 meses e meio, vi cada evolução da Cecília de perto do eminhocar ao engatinhar, vi ela balbuciar as primeiras palavras, sorri e chorei com ela.

Quando a mulher se torna mãe (as boas mulheres e mães) ela esqueçe dela mesma, e não liga. Eu não liguei.
Sou mãe solteira (não divorciada ou viuva) solteira! Voltei a trabalhar, sofri pra encontrar uma babá de confiança, recuperei minha auto-estima. Tenho que lidar todo dia com o ciumes, com as culpas, com os receios.
Todo dia aprendo com a Cecília a ser mais paciente, a ser mais carinhosa.
É o ano passou rápido demais, minha bebê já é um bebezão, já sinto saudades.

Beijos


Um comentário:

Nina Fiuza disse...

Ah... que lindo. Eu entendo tanto tudo isso que você disse. Eu também fui mãe solteira...comecei a namorar meu atual marido quando ela tinha dois anos. Eu acho que por essa nossa condição incial a gente se doa mais. A gente tem que ser pai e mae, suprir qualquer possibiliade de falta...e assim a ligação fica fortíssima. Minha boneca tem cinco anos, é minha amiga,minha companheirinha... é isso tudo aí que vc disse. Não sei se já te indiquei,mas leia o post chamado ADORAVEL INTRUSO e JOVEM GURU no "Mãe-solteira Recém-Casada". Vc vai gostar.